HISTORIA DE ANGOLA "OS MASSACRES DE 1992"

Publié le par Angola-Inteligente

Angola - A liquidação dos quadros da UNITA em Luanda em 1992   'Revista - EXPRESSO', de 14 de Novembro de 1992. Editada em Lisboa, com 126 páginas, muito ilustrada e em muito bom estado de conservação. De muito, muito difícil localização. MUITO RARA.  Reportagem de Henrique Monteiro, enviado especial do semanário EXPRESSO de Lisboa. Com 10 páginas e muito ilustradas. Fotografias impressionantes.  'LUANDA - DEPOIS DA MATANÇA'  Luanda depois da matança. Quem de ordem para matar? Quem provocou quem? A quem cabe a responsabilidade? E ainda a história de um grupo de jornalistas que durante umas horas esteve em poder da UNITA.  "A capital de Angola voltou a ser de uma só cor, sem o pluralismo que lhe conferiam os cartazes do MPLA e da UNITA, os retratos de Eduardo dos Santos e de Savimbi"  Em frente de cada um dos locais, carros queimados - as famosas GMC em que os dirigentes do Galo Negro se faziam transportar. De resto, a cidade está como sempre: suja, desorganizada, empestada de um cheiro de detritos e de morte."  "O MPLA mandou recolher os civis e voltou a falar de Bicesse. Mas, uma coisa parece certa: o movimento de Savimbi não voltará a entrar em Luanda carregado de armas."  "A agitação que se seguiu às eleições foi um enorme 'bluff'. A UNITA fingia-se mais forte do que era, e o MPLA mais inocente."   "Pensar que o 1 de Novembro em Luanda foi um 'golpe comunista' é o mesmo que chamar ao 25 de Novembro em Lisboa um 'golpe fascista'."

Angola - A liquidação dos quadros da UNITA em Luanda em 1992 'Revista - EXPRESSO', de 14 de Novembro de 1992. Editada em Lisboa, com 126 páginas, muito ilustrada e em muito bom estado de conservação. De muito, muito difícil localização. MUITO RARA. Reportagem de Henrique Monteiro, enviado especial do semanário EXPRESSO de Lisboa. Com 10 páginas e muito ilustradas. Fotografias impressionantes. 'LUANDA - DEPOIS DA MATANÇA' Luanda depois da matança. Quem de ordem para matar? Quem provocou quem? A quem cabe a responsabilidade? E ainda a história de um grupo de jornalistas que durante umas horas esteve em poder da UNITA. "A capital de Angola voltou a ser de uma só cor, sem o pluralismo que lhe conferiam os cartazes do MPLA e da UNITA, os retratos de Eduardo dos Santos e de Savimbi" Em frente de cada um dos locais, carros queimados - as famosas GMC em que os dirigentes do Galo Negro se faziam transportar. De resto, a cidade está como sempre: suja, desorganizada, empestada de um cheiro de detritos e de morte." "O MPLA mandou recolher os civis e voltou a falar de Bicesse. Mas, uma coisa parece certa: o movimento de Savimbi não voltará a entrar em Luanda carregado de armas." "A agitação que se seguiu às eleições foi um enorme 'bluff'. A UNITA fingia-se mais forte do que era, e o MPLA mais inocente." "Pensar que o 1 de Novembro em Luanda foi um 'golpe comunista' é o mesmo que chamar ao 25 de Novembro em Lisboa um 'golpe fascista'."

Commenter cet article